Agendamento
Telefone: (55) 11 3062-0517

O olho pode ser acometido por processos alérgicos, caracterizados por uma atuação excessiva do sistema imunológico que acaba reagindo de maneira exagerada e prejudicando o próprio organismo. O processo varia desde quadros leves, com poucos sintomas, até quadros graves, com muita coceira e sensibilidade à luz, inclusive com risco de perda da visão. A alergia tem grande impacto na vida do paciente e seu tratamento trás grande alívio.

Sintomas

O paciente sente coceira nos olhos que geralmente é acompanhada de lacrimejamento, fotofobia (luz incomodando) e aumento da secreção ocular (remela). As vezes também pode apresentar piora da visão durante as crises pelo aparecimento de machucado na córnea chamado de ceratite.

Adultos e crianças podem apresentar alergia ocular e existem diferentes tipos de alergia, alguns são causados por substâncias especificas como creme de proteção solar ou maquiagem e outros causados por substâncias presentes no ambiente como pólen, pelo de animais, ácaros, etc. Em alguns países com primavera bem marcada pode haver piora nesta época do ano. Em ambos os casos existe uma predisposição do organismo do paciente para ter a alergia.

Tratamento

O oftalmologista examina o paciente e consegue determinar a intensidade da alergia e sua gravidade. Geralmente o tratamento é local com uso de colírios, mas as vezes devemos mudar o ambiente onde vive o paciente, como explicado abaixo:

  • Medidas ambientais – O ideal é diminuir o contato dos pacientes com alérgenos, que são substâncias do ambiente ou dos alimentos que aumentam as crises de alergia – pó, pelo de animais domésticos e ácaro costumam ser os principais causadores de alergia nos olhos. Em alguns pacientes, apesar de mais raro, alimentos podem funcionar como alérgenos. Desta maneira devemos adotar medidas de higiene ambiental, retirando tapetes, cortinas e animais domésticos do contato com a criança ou pessoa alérgica, além de usar capa especiais nos travesseiros e colchão.

 

  • Tratamento ocular: No tratamento utilizamos compressas frias (sobre os olhos fechados) para diminuir a coceira e, se não for suficiente, utilizados colírios especiais. Nestes casos o médico oftalmologista deve acompanhar o caso para evitar e tratar as possíveis complicações. Existem muitos tipos de colírios para o tratamento da alergia e alguns deles, como os corticóides, só devem ser receitados por um médico porque seu uso incorreto pode levar à cegueira pelo aumento da pressão do olho. Colírios que costumam ajudar muito incluem anti histamínicos e ani alérgicos.

Como complicação estes pacientes podem apresentar úlceras na córnea e infecções, como a infecção pelo vírus do herpes. A córnea também pode mudar de formato, no caso de alergias mais graves, causando uma doença chamada de ceratocone. Já existem tratamentos experimentais para evitar o aparecimento ou a piora do ceratocone, como o “crosslink”.

 

5 dicas para manter os olhos mais saudáveis na primavera

1 Use colírio lubrificante, de lagrima artificial, não fazem mal e ajdam a “lavar” os alérgenos da superfície do olho

2 Use medias “anti-alergia” na tua casa e quarto como evitar carpete, bichos de pelúcia, cortinas, etc

3 Evite coçar os olhos, isso pode trazer alterações ruins para o olho. Se está com coceira avise teu oftalmologista

4 Converse com teu oftalmologista sobre tratamentos para controlar a alergia mesmo antes das crises fortes. Existem colírios seguros que diminuem a frequência e intensidade das crises.

5 Evite auto medicação com corticoide sem acompanhamento médico. Uso prolongado deste tipo de remédio pode causar aumento da pressão dos olhos, colírio de corticoide só com orientação médica.

Alergia ocular e 5 dicas para amenizar os sintomas