Agendamento
Telefone: (55) 11 3062-0517

O herpes é uma doença causada por dois tipos de vírus, o herpes simples e o herpes zoster. São dois tipos diferentes de vírus e causam doenças diferentes nos olhos e na pele.

O herpes simples é mais comum, como regra afeta apenas um dos olhos e pode ser tratado, melhorando a visão e impedindo novas crises de infecção. O paciente pode ter lesão na córnea na infecção pelo vírus e depois pode ter inflamação ocular depois que a infecção termina, mais raramente o herpes pode afetar a retina. O Herpes simples é o tipo de herpes que também causa infecção nos lábios de muitos pacientes e, da mesma maneira, pode “voltar” em novas infecções chamadas de recidivas.

No tratamento são utilizados remédios que combatem o vírus, geralmente por via oral, mas raras vezes pode ser necessário medicamente administrado por via endovenosa. Cremes e pomadas hoje são menos utilizados no olho, já que o remédio por via oral funciona muito melhor e é muito seguro. Como exemplo de remédios utilizados nestes casos estão o Aciclovir e o Valaciclovir. Além do remédio para combater o herpes também podem ser necessários corticóides para diminuir a inflamação.

Muitas vezes o herpes ocular afeta pacientes com outras doenças nos olhos, como por exemplo pacientes alérgicos ou que fizeram transplante de córnea. Desta maneira o oftalmologista precisa suspeitar do herpes e muitas vezes o diagnóstico não é fácil.

O Herpes zoster é causado pelo vírus Varicela Zoster e causa tanto a catapora quanto o herpes zoster. No caso do herpes zoster costuma afetar pacientes mais velhos e atinge regiões específicas da pele, sempre respeitando a linha média, atacando metade do corpo ou da face. Pode afetar a face e um dos olhos e raramente pode afetar a retina no fundo do olho. Depois que a infecção passa o paciente pode ficar com dor, pela acometimento do nervo pelo vírus. Existem remédios que ajudam a tratar esta dor, chamada de “neuropatia” pós herpes. Para o Herpes zoster já existe vacina e pacientes acima dos 60 anos devem conversar com seu médico para considerar a vacinação, desta maneira diminuindo o risco de ter a doença.

Artigo escrito pela equipe da Clínica Belfort. Atualizado em Agosto de 2018. Proibida reprodução parcial ou total sem autorização. Este artigo e vídeo contêm apenas informações gerais sobre doenças oculares. Este texto não substitui a avaliação por oftalmologista.