Agendamento
Telefone: (55) 11 3062-0517

O olho pode ser acometido por uma série de tumores ou cânceres. Estes tumores pode ter origem no olho (chamados tumores primários) ou ser uma metástase de um tumor que o paciente apresenta em outro local do corpo. O aparecimento de tumores no olho é relativamente raro, mas pode acometer desde crianças nos primeiros meses de vida até adultos e idosos.

Abaixo o Dr Rubens Belfort Neto, presidente da Sociedade Pan-Americana de Oncologia Ocular e ex chefe do setor de Oncologia Ocular da Escola Paulista de Medicina / UNIFESP, explica um pouco sobre os diferentes tumores que podem acometer os olhos.

Tumores intra-oculares

Crianças

O tipo mais comum de câncer intra-ocular em crianças chama-se retinoblastoma e acomete crianças desde o nascimento até aproximadamente os 7 anos de vida. Ele é causado por uma alteração genética no cromossomo 13. Geralmente os pais percebem o tumor porque a criança apresenta reflexo branco do olho em uma foto com flash, ao contrario do reflexo vermelho esperado. Em outros casos a criança tem um olho torto em relação ao outro (estrabismo), olho vermelho ou doloroso. É uma doença rara, mas que é fatal se não tratada de maneira adequada.

Veja maiores detalhes clicando em Retinoblastoma no menu à esquerda.

Adultos

 

Melanoma de coróide

Nos pacientes adultos o tipo mais comum de câncer intra-ocular (dentro do olho) é o melanoma de coróide. Sabemos que os pacientes com maior chance de terem a doença são os pacientes mais velhos e com pele branca, mas qualquer um pode ser acometido. Geralmente os pacientes percebem o tumor porque têm alteração na visão, mas algumas vezes o tumor é encontrado em um exame de rotina. O tratamento pode envolver cirurgia, radiação ou retirada do olho.

Veja maiores detalhes sobre melanoma de coróide clicando aqui.

 

Metástase

Metástase ocular é um tumor no olho decorrente de tumor em outro local do corpo, sendo mais freqüentes vindo de canceres da mama, pulmão ou próstata. O tratamento da metástase pode melhorar a sobrevida e qualidade de vida do paciente e depende do tipo de tumor primário. Nestes casos é importante o contato do oncologista ocular com o oncologista que trata do tumor primário do paciente. Como tratamento temos medicações, radioterapia e cirurgia, dependendo do tipo de metástase, seu tamanho, número e da visão do paciente.

Saiba mais sobre metástases de coróide clicando aqui.

 

Tumores da superfície ocular

Carcinoma

Carcinomas são os cânceres mais comuns a afetar o olho e as pálpebras. O câncer surge das células de revestimento, chamadas de epitélio, na região chamada conjuntiva.

Tanto o carcinoma quanto o melanoma podem aparecer na conjuntiva ou córnea causando olho vermelho que não melhora, aumento da pigmentação da conjuntiva (aparecimento de material marrom ou de pinta na superfície do olho), baixa de visão ou dor.

Neste caso o diagnóstico adequado e o tratamento rápido são fundamentais para que o paciente seja curado. O tratamento é realizado com cirurgia utilizando técnicas especiais que diminuem a chance do câncer voltar (como a técnica da crioterapia, por exemplo). É fundamental que um patologista examine o tumor depois que retirado para que o médico tenha todas as informações necessárias.

Também pode ser realizado tratamento complementar com quimioterápicos em colírio, que ajudam a destruir as células tumorais. O uso de raio laser está sendo estudado como forma de tratar estes tumores.

Saiba mais sobre carcinoma ocular clicando aqui.

 

Melanoma de conjuntiva

Melanomas de conjuntiva são tumores agressivos que precisam ser tratados de maneira adequada assim que preciso. Eles aparecem como lesões geralmente escuras na superfície do olho, mas raramente pode aparecer de uma lesão branca (amelanótica). O diagnóstico é confirmado na mesma cirurgia que trata o pacientes. São utilizadas na cirurgia técnicas especiais que diminuem a chance do tumor voltar.

 

Tumores palpebrais

As pálpebras podem ser acometidas por carcinomas baso-celulares ou melanomas (cânceres de pele). Estes tumores muitas vezes são percebidos pelo paciente ao se olhar no espelho, mas as vezes são identificados na consulta de rotina com seu oftalmologista.

O tratamento em fase inicial com cirurgia costuma ser curativo na grande parte dos tumores de pálpebra (como carcinomas ou mesmo melanomas).

Saiba mais sobre tumores palpebrais clicando aqui.

 

Artigo e vídeos produzidos pela equipe da Clínica Belfort. Proibida reprodução parcial ou total sem autorização. Este artigo e vídeo contêm apenas informações gerais sobre doenças oculares e não substitui a avaliação por oftalmologista.