Agendamento
Telefone: (55) 11 3062-0517

A conjuntivite mais freqüente em pessoas que não têm doença nos olhos é a conjuntivite viral, causada por virus semelhante ao virus da gripe (adenovírus). A pessoa é contaminada após ter contato com alguém doente ou com algum objeto que contenha o vírus.

A infecção geralmente demora alguns dias para se desenvolver e pode durar até três semanas. Infelizmente ainda não existe nenhum tratamento especifico para a conjuntivite viral, não sendo indicados colírios de corticóide ou antibiótico a não ser em raros casos, quando indicados pelo médico especialista. O uso incorreto destes colírios pode piorar o quadro.

Quadro clínico

Olho vermelho, sensibilidade à luz, presença de secreção, lacrimejamento e inchaço das pálpebras. Pode variar desde sintomas leves até quadros mais graves, com muita inflamação e incomodo.

Tratamento

Infelizmente ainda não existe nenhum tratamento especifico para combater o vírus na conjuntivite viral. A boa notícia é que trata-se de uma infecção auto-limitada, sendo que o próprio sistema imune mata o vírus. O tratamento visa apenas diminuir a reação inflamatória e os sintomas do paciente e é realizado com compressa fria com água mineral, filtrada ou fervida ou soro fisiológico gelado, as vezes colírios de lagrima artificial pode ser utilizados.

Em casos mais graves o oftalmologista pode receitar colírios com corticóide (em casos de baixa de visão pela deposição de infiltrados na córnea, caso de formação de membranas nas pálpebras ou de muita inflamação).

É importante evitar a disseminação da infecção, separando toalhas, travesseiros e objetos de uso pessoal do paciente, evitando coçar os olhos e lavar sempre as mãos. O paciente também deve evitar banho de mar ou piscina, porque pode transmitir a infecção a outras pessoas. O vírus não é transmitido pelo ar, mas se o paciente tocar algum objeto com a mão suja de vírus e outra pessoa utilizar o objeto e colocar a mão nos olhos, ela pode pegar a infecção. Pacientes que usam lentes de contato geralmente são orientados a suspender o uso até que a conjuntivite cure.

Complicações

Alguns pacientes apresentam ceratite, que é a erosão superficial da córnea. Neste caso o paciente apresenta dor e muita sensibilidade à luz. Outros apresentam piora da visão no final da conjuntivite, causada pelo acúmulo de células inflamatórias na córnea, chamados de “infiltrados sub-epiteliais”. Estes pacientes podem precisar de tratamento específico com colírios especiais. Raramente pacientes apresentam reação inflamatória exacerbada, formando “membranas” na face interna das pálpebras. Em alguns casos pode ser necessária a remoção de tais membranas pelo oftalmologista.

Em caso de baixa de visão, dor ou muita secreção deve-se procurar orientação de um oftalmologista.

Outras conjuntivites virais podem ser causadas pelo vírus da Herpes símples e Herpes Zoster, mas estas conjuntivites são mais raras, mais sérias e não causam epidemias como as causadas pelo adenovírus. No caso dos casos causados pelo vírus do Herpes existem remédios que podem controlar e ajudar a curar a infecção mais rapidamente.

Artigo escrito pela equipe da Clínica Belfort. Proibida reprodução parcial ou total sem autorização. Este artigo e vídeo contêm apenas informações gerais sobre doenças oculares. Este texto não substitui a avaliação por oftalmologista.