Agendamento
Telefone: (55) 11 3062-0517

A oclusão venosa da retina é muito comum e uma das causas mais frequentes de perda de visão no mundo. Nesta doença, há entupimento de veia na parte do fundo do olho, na retina, causando isquemia, hemorragia e inflamação.

A oclusão pode afetar a veia central, responsável pela drenagem de todo o sangue da retina para fora do olho ou um ramo da veia central, uma forma menos grave da doença, que afeta apenas parte da retina.

Tipos de oclusões venosas na retina

 

  • Oclusão de veia central da retina (OVCR): É quando a oclusão acontece na veia central da retina (que é a principal)
  • Oclusão de ramo venoso da retina (ORVR): É quando a oclusão acontece em um ramo venoso nessa parte interior do olho

 

A doença também é dividida nas formas isquêmica e não isquêmica, de acordo com o sofrimento da retina pela falta de irrigação e oxigenação adequadas. Esta divisão é importante porque vai determinar quais as chances de o paciente evoluir bem, com melhora da visão. Na forma isquêmica é muito frequente o paciente desenvolver complicações como edema macular e neovascularização, que aumentam muito o risco de cegueira.

Fatores de risco

As oclusões venosas podem ocorrer em pessoas sadias e em qualquer época da vida, mas certos fatores contribuem para aumentar as chances de desenvolver essa doença ocular. Confira abaixo os principais fatores de risco:

 

  • Idade: Mais comum em pessoas acima dos 65 anos
  • Pacientes com hipertensão arterial (pressão alta no sangue), diabetes e fumantes têm mais chance de ter a doença
  • A doença parece afetar mais latinos e negros do que caucasianos
  • Quem tem problemas de coagulação do sangue, com maior risco de trombose
  • Pacientes com glaucoma (pressão alta nos olhos)
  • Doenças no corpo como Lupus, Sífilis, Leucemia e Mieloma múltiplo também aumentam o risco de oclusão de vasos na retina

Sintomas das oclusões venosas

De maneira geral o paciente com oclusão de veia central da retina percebe piora da visão de um dos olhos. No caso de oclusão de ramo venoso, o paciente pode apresentar pequena alteração da visão ou defeito no campo visual. O paciente não fica com olhos vermelhos e nem sente dor, os sintomas são visuais. Confira todos os sintomas das oclusões venosas:

  • Perda súbita da visão
  • Visão embaçada
  • Manchas na visão
  • Problemas no campo visual
  • Perda gradativa da visão

 

Exame oftalmológico

O oftalmologista vai examinar o paciente com as pupilas dilatadas e solicitar alguns exames especiais como retinografia, OCT (tomografia de coerência óptica) e angiofluoresceinografia. Estes exames vão determinar se o paciente apresenta edema de mácula e se a doença é isquêmica ou não.

Tratamentos para oclusões venosas ocular

O tratamento começa tentando identificar alguma doença no corpo que possa ter causado a oclusão, como a hipertensão arterial. É fundamental tratar a doença para diminuir a chance de nova oclusão ou que o outro olho seja afetado. Podem ser solicitados alguns exames de sangue para pesquisar algumas causas da doença, como mencionadas acima.

O tratamento tem como objetivo controlar a inflamação e o edema de mácula, além de tratar as áreas de isquemia de retina. São utilizados medicamentos intraoculares, chamados anti-VEGF. Estes remédios mudaram a história desta doença e permitiram salvar a visão de muitos pacientes.

Existem diferentes medicamentos disponíveis no mercado como Avastin®, Lucentis® e Eylea®. Também é utilizado implante de corticoide intraocular, chamado Oxurdez® com excelentes resultados para o edema de mácula. Além das injeções pode ser necessário tratar a retina com aplicação de laser para tratar as áreas de isquemia da retina.

 

Artigo e vídeos produzidos pela equipe da Clínica Belfort. Proibida reprodução parcial ou total sem autorização. Este artigo e vídeo contêm apenas informações gerais sobre doenças oculares e não substitui a avaliação por oftalmologista.